segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Expedição El Calafate - Ushuaia: Enfim Ushuaia

Nós chegamos em Ushuaia na noite de quinta-feira e nosso vôo seria apenas no domingo, então teríamos dois dias para conhecer o local. Como estávamos já com aquele clima de fim de festa, parecia que era muito tempo, no entanto, agora que já passou, acho que foi pouco. Poderíamos ter feito mais coisas! Mas até que é bom deixar algo por fazer porque dai tem a motivação para voltar :-)

Na manhã da sexta-feira tivemos que fazer nossa mudança, ou seja, saímos do apart hotel que estávamos e fomos para o outro, onde ficaríamos até a viagem de volta. Uma vez hospedados novamente começamos a organizar o que fazer. Eu queria visitar o Museu do Presídio/Marítimo, e o grupo concordou. Então fomos para lá, mas como a entrada era meio cara, acabou que o Rafael e o Mildo desistiram de entrar. Bom... perderam, vale a visita.










O Ushuaia foi no começo do século uma espécie de "Sibéria" para os Argentinos. Eles construiram lá um presídio para onde mandavam os criminosos julgados mais perigosos e, claro, alguns presos políticos. A cidade foi contruída pelos prisioneiros, já que os que tinham bom comportamento podiam trabalhar fora do presídio. Hoje o presídio é um museu, que conta a história do presídio e como era a vida na região, além de manter maquetes de vários navios que passaram por lá, como por exemplo o "Beagle" (o barco onde estava Charles Darwin).

Depois da visita ao Museu, passeamos pela cidade e tiramos a tradicional foto junto a placa "Ushuaia - fin del mundo", que fica próximo ao porto. Na praça fica também a "cápsula do tempo", um pequeno monumento contendo gravações em videolaser e que deverá ser aberta somente em 2492. Mais adiante fica a baía fechada onde em 1957 um navio-rebocador encalhou a poucos metros da orla e acabou virando atração turística.

 (Foto: Daniel Czaikowski)





Gastamos também algum tempo na cidade vendo as lojas. A noite compramos comida, coca-cola (muitas!), vodka e ficamos no apart, comendo e jogando baralho ("oito maluco").

Na manhã de sábado fomos resolver o problema de como embalar as bikes para o transporte. Curiosamente, plástico bolha é impossível de se encontrar no Ushuaia! Caixas de papelão de bikes são fáceis de conseguir na loja de bikes local, mas acabamos optando por não usá-las, pois é necessário desmontar praticamente toda a bike (duas rodas, bagageiro, banco, garfo, etc...) e não são muito práticas para carregar. Em uma loja de materiais de construção o Rafael achou um material muito legal: uma espécie de espuma fina e resistente que é usada como revestimento de paredes/telhado. Então com esse material, algum papelão e fita adesiva, empacotamos as bikes. Uma dica: leve uma cordinha (nylon por exemplo) para fazer a alça do "pacote", mas na falta dela uma câmara de ar resolve.

 (Foto: Marcos José Valle)
(Foto: Marcos José Valle)

A tarde pegamos uma van para ir até o Parque Nacional Terra Del Fuego, onde termina a "ruta 3". O parque é bem bonito e tem várias trilhas auto-guiadas. Deveríamos ter reservado mais tempo para o parque, ou melhor, deveríamos ter acampado lá! Fizemos uma trilha curta por lá e no caminho aconteceu um negócio engraçado. Paramos em um mirante, e enquanto estávamos de bobeira por lá, chegou um grupo grande de franceses com a guia da excursão. Ela puxou papo com a gente, e ia traduzindo para os franceses. Eles não haviam demonstrado muito interesse até a hora que descobriram que nós haviámos chegado lá de bike! heheh, legal o valor que os franceses dão para o ciclismo! A guia havia levado um licor local para fazer um brinde e nós brindamos juntos. Muito bom o tal do "Legui".

(Foto: Daniel Czaikowski)







 ("Legui". Foto: Rafael Gassner)
(Foto: Daniel Czaikowski)

O resto do dia foi na cidade... o Zé estava doido para provar a "Centolla" (o carangueijo gigante), mas não conseguiu encontrar um local onde o carangueijo fosse servido inteiro, então ele acabou desistindo, e repetimos o programa noturno do dia anterior :-).

Na manhã de domingo, o Daniel acordou cedo e pegou um taxi para o aeroporto pois o vôo dele para o Rio de Janeiro era mais cedo que o nosso. Mais tarde um pouco foi a nossa vez de pedir taxis e ir para o aeroporto.

O aeroporto da cidade fica numa espécie de península na beira do canal de Beagle, e apesar de pequeno é bem bonito, com várias partes de madeira. Quando estávamos chegando lá, vi um turista do lado de fora tirando fotos de cima de um montinho de terra, e achei que seria uma boa idéia fazer o mesmo. Incrível... foram 2 semanas de pedal e caminhada sem nenhum acidente, e eis que ele acontece nas últimas duas horas da viagem! Subi no montinho e quando fui descer torci o pé bem feio! Fiquei mancando, inchou, e incomodou um monte!



(Esse é o montinho assassino!)

A saída do Ushuaia é emocionante.... o avião parece que sobe numa espiral, afinal tem morro dos dois lados! Mas fora isso a viagem foi tranquila. Descemos em Buenos Aires e procuramos o guichê da Gol. Daí tivemos um pouco de chateação! Primeiro não nos deixaram despachar a bagagem pois faltava mais de 3 horas para o vôo, daí quando faltavam menos de 3 horas, tinha uma fila imensa onde ficamos mais de uma hora! Para completar ainda cobraram excesso de bagagem do Rafael (pela primeira vez na viagem). Daí fomos para a aduana e lá tinha outra fila imensa, onde perdemos mais de uma hora novamente! Para completar tinha um grupo de excursão para Disney, com um monte de meninas! Adivinha se não demorou? No fim, praticamente não tivemos tempo de ver o duty free shop :-(

Chegamos em Florianópolis de madrugada e o Paulo estava nos esperando. Fomos para casa da minha mãe, lanchamos e apagamos! Na segunda ficamos para o almoço e finalmente a tarde pegamos um busão para Curitiba.

That´s all folks! Acabou :-).

5 comentários:

  1. Así así, que buenos recuerdos guardan vosotros de eso todo, es verdad? Un gran viaje!

    Muiuto massa, Épico mesmo (digo por todos os posts, por toda viagem!)! =)

    Além de toda a fabulosa experiência visual (e táctil, e palato-alcoólica e etc.), imagino que a convivência do grupo tenha sido um ponto alto também =) Afinal, além de conhecer melhor as pessoas, você as vê mudando e muda junto numa experiência como essa, invariavelmente =)

    Parabéns Lyra! E a toda a equipe também! Moooitomassa =)

    Hábraços!!!
    Lulis

    ResponderExcluir
  2. hola, bueblo!
    li todo o relato (bem relatado, sim) que só aumenta minha vontade de fazer algo parecido na Patagônia!
    parabéns aos integrantes
    abraços
    Elton Xamã

    ResponderExcluir
  3. kurti os relatos, as fotos e os causos... a região é belissima para voltar 1000X.

    JOPZ

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela viagem galera. Muito legal mesmo!!

    Abraços!
    Rodrigo Stulzer
    transpirando.com

    ResponderExcluir
  5. Posso ir junto da próxima vez? ehehe.. Estou brincando.. Acho q ainda não consigo.. Muito legal a viagem! Fotos lindíssimas também.. Adorei!!! :)

    ResponderExcluir