terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Serra da Dona Francisca

O pedal desse domingo foi proposto pelos amigos do Odois como um "pedal de encerramento do ano e das tiras". O destino foi a Serra da Dona Francisca, seguido da estrada do Rio do Julio, paradinha em Schroeder, rodovia do arroz e final no posto Rudnick (tudo em SC). Após algumas semanas de planejamento e muitas trocas de email, ficou acertado que iriamos de van+carretinha até o começo da serra, e voltariamos de van do posto Rudnick. Alias, sobre o planejamento, faço um "parenteses" aqui: meus agradecimentos a todos que estiveram envolvidos com o planejamento e não foram, aos que planejaram e foram, e aos que só foram! Foi muito legal fechar o ano com um pedalzão com vocês. Em especial fico feliz que o Du esteja bem e pedalando. Fecha parenteses :-).
O ponto de encontro do pedal foi as 6h da matina no Shopping Italia. Após uma certa espera, tipo uns 40 minutos(!), a van chegou e colocamos as bikes na carretinha. Enquanto esperávamos o Pedro se desentendeu com uma abelha e conseguiu uma ferroada nas costas!


Saimos de Curitiba com duas desistências... paramos no caminho para pegar mais 3 ciclistas, e seguimos para SC, em uma viagem bem rápida e tranquila. Ao chegar no ponto de encontro no pé da serra encontramos mais 3 ciclistas (totalizando 15), tomamos um café da manhã, dá-lhe protetor solar, e finalmente pedal!


O pedal começa já com o chefe de fase: a subida da serra Dona Francisca. Saímos de uns 50m acima do nível do mar e vamos a uns 700m, com uma paradinha um pouco depois da metade em um mirante. Pelo menos a subida é asfaltada, então até que rendeu apesar do sol torrando o capacete.




Re-agrupamos no mirante e seguimos subindo até alcançar a entrada da estrada do Rio do Júlio, saindo do asfalto e iniciando um trecho muito legal de pedalar. A próxima parada para reagrupar seria a represa.







Quando cheguei na represa uma parte do grupo já estava lá. Fizemos um lanche enquanto aguardávamos o resto do grupo. Os mosquitos também também lancharam muito bem esse dia! O resto do grupo demorou um pouco para chegar pois houve um problema mecânico e uma desistência. Continuamos o pedal e enfrentamos mais algumas subidas, e logo iniciamos um imenso downhill! Muito bom :-). O próximo ponto de parada foi uma cachoeira, no meio da descida.




Paradinha na cachoeira, e continuamos o downhill. A próxima parada seria a Cabana do Weiss em Schroeder. Nessa altura, o sol estava se escondendo e umas nuvens esquisitas começaram ocupar muito espaço no céu.





Chegando em Schroeder descobrimos que tinhamos poucas opções de alimentação então acabamos parando na loja de conveniências de um posto de gasolina. O jeito seria ficar na base do sanduíche e coca-cola mesmo. O grupo todo chegou e ficamos um tempo de papo. As nuvens que estavam se acumulando viraram uma tremenda chuva. Já resignados que iriamos voltar em baixo de chuva, fizemos os preparativos necessários:  capa nos alforges e mochilas, eletrônicos nos saquinhos estanques. Ainda restavam uns 40km até o posto Rudnick, onde a van estaria nos esperando. A tarde já estava meio avançada e havia a preocupação de não chegar muito tarde em casa. Então saímos do posto sob uma chuvinha fina, mas aproveitamos o asfalto plano para aumentar o ritmo. Até rolou uma corridinha contra os nativos (injusta por sinal... eles estavam de single-speed e com mais um cara na garupa!).

Apesar do cansaço o grupo estava empolgado. Começamos a pedalar forte e em pelotão. Saindo de Schroeder, desviamos de um morro, e pegamos um "atalho" até chegar na rodovia do arroz. Mais uma paradinha para re-agrupar, e toca em ritmo forte pela rodovia. A chuvinha ficou alternando, entre chuva, chuvão e de vez em quando de volta a chuvinha.




O Fabrício vinha puxando o pelotão, mas em um determinado ponto achei injusto ele ficar cortando o vento e passei na frente para pagar a minha cota de vácuo :-). Acho que exagerei, pois me desgarrei do grupo e ficamos em apenas 3 ciclistas! Ah sim... os paralamas da Giant fizeram sua parte, nada de ficar bebendo água suja de asfalto! A chuva em si não foi de toda ruim, pois não pegamos vento contra, e a água não estava fria. O único porém foram os recuos dos pontos de ônibus, onde o asfalto da pista invade o acostamento criando um desnível em diagonal, que molhado fica meio perigoso. Procurei sempre atacá-los no melhor ângulo, o que me obrigava a diminuir um pouquinho o ritmo nesse momento. Chegamos no posto Rudnick em tempo recorde... Trocamos de roupa (droga... eu jurava que tinha colocado mais uma bermuda no alforge!), repomos as calorias com mais coca-cola e chocolate, e arrumamos as bikes na carretinha para encarar a volta para casa.


A volta para casa de van não foi tão tranquila quanta a ida. Pegamos alguns trechos de engarrafamento na BR, alguns caminhões parados e acidentes. Próximo ao final da subida quando as duas pistas se aproximam novamente, presenciamos um acidente impressionante e lamentável. Um carro descendo a serra derrapou no começo da curva, invadiu o canteiro/barranco direito e saiu capotando. Deve ter girado umas três vezes! Felizmente chegamos bem em Curitiba. Muito legal o pedal, valeu pessoal!

O meu track está aqui. 101.6 km de pedal e .... wtf? quando eu terminei o pedal o GPS marcava 1.150m de subidas acumuladas. O garmin connect diz que foram 1316m, mas se habilitar o "elevation correction" vira 1.572m! vai entender...

8 comentários:

  1. mais um relato,,pqp,,mais sofrimento

    ResponderExcluir
  2. Show de bola o relato, gostei muito da foto 8.

    ResponderExcluir
  3. E eu fui a vítima dos recuos! :-)

    Abraços!
    Rodrigo Stulzer
    transpirando.com

    ResponderExcluir
  4. A foto da bike no portão? eu tb :-).

    ResponderExcluir
  5. É isso aí Lyra, o paralama traseiro funcionou direitinho :)

    ResponderExcluir
  6. Lyra,
    Valeu pela companhia, eu posso dizer (esqueci de lembrar de não esquecer de lembrar de não esquecer) que fico feliz que a sua recuperação foi boa também (fiquei sabendo que passou pela faca um dia desses também).
    Um novo ano com mto km a mais...

    ResponderExcluir
  7. Boas fotos, li os outros relatos e com certeza foi um pedal legal...

    quanto a esses recuos no asfalto, tomei um pacote bem assim pegando chuva voltando do recanto papagaios, sem duvida traiçoeiros.

    JOPZ

    ResponderExcluir
  8. Show de pedal.
    Valeu a camaradagem.
    Agora que raio de cidade passamos pra ir ao rudnick?????????????/
    ashaushaushaushauah
    Aquele

    ResponderExcluir